Skip to content

Perguntas freqüentes

POLY4 – conteúdo de nutrientes

O que é o POLY4?

POLY4 é o nome comercial do produto da Sirius Minerals, criado a partir de um minéral chamado polialita. Ele contém quatro dos seis principais macro nutrientes que todas as plantas precisam para crescer: potássio, enxofre, magnésio e cálcio. Sua fórmula química é K2SO4MgSO42CaSO42H2O.

Qual é o conteúdo exato de nutrientes do POLY4?

Os quatro macro nutrientes do POLY4 são 14% K2O, 19% S, 3.6% Mg e 12.1% Ca, com base em um conteúdo de 90% do mineral polialita.

Por que o conteúdo de nutrientes declarado do POLY4 não soma 100%?

A composição declarada é baseada em um conteúdo de 90% do minéral polialita. Os 10% restantes são anidrita, magnesita, kieserita, hexahidrita, szaibelyita, gipsita, halita, mica e singenita.

A composição declarada no rótulo de um fertilizante corresponde ao conteúdo mínimo de seus nutrientes. Em geral, corresponde a uma porcentagem de peso. O valor de nutrientes é expressado em unidades para permitir uma comparação justa de conteúdo de nutrientes entre diferentes fertilizantes.

A composição elementar de K, Ca, Mg, S, H e O da polialita pura é de 12.9, 13.3, 4, 21.2, 0.7 e 47.8.

O que significa o nível médio de 90% de polialita?

O POLY4 é feito de polialita, um minéral proveniente de extração subterrânea. Após uma série de testes, indicamos que a composição típica de nosso produto será de 90% de polialita.

Por que o potássio (K) contido no POLY4 é bom para as plantas?

O potássio tem um papel fundamental nas plantas: ativa diferentes enzimas; mantém um nível ideal do pH celular; influencia a fotossíntese e o transporte de açúcares, nutrientes e água; participa na a síntese de proteínas e amido e na melhora a qualidade da cultura.

Por que o magnésio (Mg) contido no POLY4 é bom para as plantas?

O magnésio reforça a absorção de uma ampla gama de nutrientes; é componenteestrutural da clorofila e, por isso, afeta diretamente a fotossíntese; tem papel fundamental nas reações de transferência de energia e, assim, influencia a respiração.

Por que o cálcio (Ca) contido no POLY4 é bom para as plantas?

O cálcio influencia o metabolismo do nitrogênio e a absorção de potássio; no alongamento e na divisão celular; no transporte de carboidratos e nutrientes, e assim estimula o crescimento radicular e a qualidade da cultura.

Por que o enxofre (S) contido no POLY4 é bom para as plantas?

O enxofre é um componente de três aminoácidos e da coenzima A, influenciando assim a síntese de proteínas e ácidos graxos; ele mantém um nível ideal da proporção de N e S e do teor proteico; ele também influencia no teor de clorofila e ferredoxina, promovendo a redução de nitrato e sulfato e, consequentemente, melhora a qualidade da cultura.

O POLY4 contém enxofre demais?

O POLY4 fornece o enxofre na forma de sulfato, tornando-o disponível para as plantas. Em nossos testes com diferentes culturas observou-se que o enxofre fornecido resulta em melhorias em termos de qualidade e rentabilidade. Também verificamos o efeito residual de nutrientes no solo através da utilização de POLY4. Assim, a safra seguinte também se beneficia da adição de enxofre. O sulfato é um nutriente vegetal e não resulta em impacto tóxico no meio ambiente ou possui qualquer implicação negativa para o solo ou a planta em si.

Quais são os benefícios dos micronutrientes contidos no POLY4?

O POLY4 contém traços de oito micronutrientes:

  • Boro (B): atua na divisão celular e metabolismo da regulação de carboidratos;
  • Cobre (Cu):importante para a produção do tubo polínico, estrutura e função da parede celular, bem como das vias respiratórias e fotossintéticas;
  • Ferro (Fe): fundamental para uma série de reações redox celulares; importante para as vias metabólicas de transporte de energia da mitocôndria e do cloroplasto;
  • Manganésio (Mn): fundamental para a redução de nitrato e parte das enzimas fotossintéticas regulatórias;
  • Molibdênio (Mo):cofator essencial de enzimas para a conversão de nitrato para aminoácidos e P inorgânico para P orgânico;
  • Selênio (Se): atua na resitencia da planta contra fatores abióticos como o frio, seca, o dessecamento e a tensão metálica;
  • Estrôncio (Sr): suplementa a absorção de cálcio;
  • Zinco (Zn): componente de enzimas envolvidas na fotossíntese e formação de açúcar e proteínas, síntese de DNA e regulação de genes.

Qual é a quantidade de sódio e cloreto presente no POLY4?

Nossa composição inclui um conteúdo de halita médio de 3,07% contendo 1,2% de sódio e um conteúdo médio de 1,9% de Cl-.

Qual é o conteúdo de metais pesados do POLY4?

O POLY4 não contém metais pesados. É um material natural que contém elementos benéficos como boro, cobalto, selênio, estrôncio, cobre, ferro, manganésio, molibdênio, zinco e sódio. Testes do POLY4 para determinar a presença de alumínio, vanádio, tálio, berílio e prata tiveram resultado negativo.

POLY4 – fornecimento de nutrientes

Sob qual forma os nutrientes são fornecidos no POLY4?

A estrutura da polialita é cristalina e, em solução, os cátions são K+, Mg2+ e Ca2+ e o ânion é SO4 2-. O enxofre é o SO4 2-, assim, as plantas o absorvem sob a forma de ânion. Todos os nutrientes contidos no POLY4 estão disponíveis para absorção imediata das plantas.

Qual é o perfil de liberação dos nutrientes do POLY4?

Para perpetuar a qualidade e a rentabilidade das culturas, deve-se manter um nível mínimo de nutrientes no solo. Os dados provenientes de nossos testes agronômicos indicam que os nutrientes do POLY4 (potássio, magnésio, cálcio e enxofre) são liberados gradativamente, o que corresponde melhor às necessidades de aborção das plantas.

Há uma diferença em termos de nutrientes entre os vários tipos de POLY4: grânulos, micro grânulos, pó ou moído?

Todos os tipos de POLY4 possuem a mesma composição mínima de nutrientes.

Há algum risco de liberação de sulfato de cálcio (gipsita), impedindo assim a aborção de nutrientes por parte da planta?

Tanto o POLY4 quanto a gipsita contêm cálcio e sulfato de enxofre, mas apenas 27% dos componentes do POLY4 são os mesmos da gipsita.

Os resultados dos nossos testes revelaram a importância do cálcio (Ca) e do enxofre (S) para a estrutura do solo e a nutrição das culturas. Os dados também demonstraram que a utilização de POLY4 resulta em aborção otimizada de Ca e S.

O POLY4 é aproximadamente cinco vezes mais solúvel que a gipsita. Se o POLY4 for utilizado em doses agronômicas recomendáveis e sob condições de solo normais, não ocorrerá liberação.

Já que o POLY4 introduz cálcio no solo, há risco de formação de fosfato de cálcio, paralisando assim o fósforo de nutrientes da cultura?

Uma série de testes realizados em terras agrícolas indicam que as culturas não sofrem de carência de fósforo. Pelo contrário, nossos ensaios com diferentes cultivos nos fornecem provas de uma absorção de nutrientes mais otimizada.

POLY4 – características

Qual é a resistência ao esmagamento dos grânulos de POLY4?

Os grânulos de POLY4 possuem uma resistência ao esmagamento mínima de 6,5 quilogramas de força.

Qual é a umidade relativa crítica do POLY4?

A umidade relativa crítica (URC) corresponde ao valor da umidade relativa do ar ambiente acima do qual um fertilizante absorverá a umidade e abaixo do qual ele não absorverá a umidade do ar. Isso é importante para evitar o empedramento no fertilizante, tornando difícil seu manuseio e utilização. O POLY4 sem revestimento tem uma URC de 70%. Outros produtos como o KCl tem uma URC similar (72%).

Qual é a solubilidade do POLY4?

O POLY4 possui uma solubilidade de 27 g L-1 a 25°C. Com essa solubilidade, o POLY4 fornece de maneira eficaz K2O, MgO, CaO e S nos níveis comercialmente exigidos.

Como o POLY4 é um mineral, sua dissolução resulta em uma liberação simultânea de nutrientes. A taxa de dissolução corresponde à transição de um fertilizante sólido para uma solução. Essa taxa depende principalmente de parâmetros físicos controlados durante o processo patenteado de granulação. O resultado é uma taxa de dissolução que favorece o fornecimento de nutrientes, auxiliando assim o desenvolvimento das plantas durante toda a fase de crescimento.

POLY4 – sustentabilidade

Qual é a diferença entre o POLY4 e os outros fertilizantes potássicos?

Potassa é o nome genérico de uma gama de minérios compostos de potássio e produtos industriais, incluindo cloreto de potássio (K2O), sulfato de potássio (K2SO4) e polialita (K2Ca2Mg(SO4)4·2(H2O)). O POLY4 é diferente da maioria dos fertilizantes de potassa porque é feito de um minério natural, sem passar por nenhum processamento químico. Por essa razão, o POLY4 possui o selo orgânico e é composto de micronutrientes. Além disso, a principal característica que difere o POLY 4 do cloreto de potássio (KCI) é seu baixo nível de cloro.

Qual é o índice salino do POLY4?

Os resultados provenientes de sete laboratórios independentes que utilizaram o método Jackson indicam que o índice salino do POLY4 é de 76. O resultado do KCl foi de 130, do SOP de 97 e do SOP-M de 80.

O POLY4 afeta o ambiente do solo, particularmente o nível elevado de sulfato?

Pesquisas históricas indicam que nutrientes como o cálcio e o magnésio podem ser benéficos, sobretudo no que se refere às propriedades físicas e químicas do solo. Como esses nutrientes estão presentes na composição do POLY4, o ambiente do solo é enriquecido por um período maior que uma safra apaneas.

O POLY4 contém enxofre sob a forma de sulfato. Esse cátion solúvel não se acumula no solo. Ele se desloca juntamente com a drenagem de água. Uma análise independente do risco ambiental concluiu que o POLY não apresenta riscos.

O pH neutro do POLY4 é importante?

O POLY4 é um fertilizante de pH neutro e não afeta o pH do solo, seja qual for a quantidade utilizada. A utilização de POLY4 juntamente com outros fertilizantes pode resultar em uma redução da acidez proveniente de outras fontes de nutrientes, como o sulfato de amônia.

O POLY4 pode ser utilizado na agricultura orgânica?

Sim. O POLY4 é feito de um minério natural e possui o certificado necessário para ser utilizado na agricultura orgânica concedido pela Associação Britânica do Solo e Agricultores e Produtores Orgânicos. As fazendas que já possuem o certificado concedido pela Associação Britânica do Solo e Agricultores e Produtores Orgânicos não precisam de autorização prévia para utilizar o POLY4. No entanto, a utilização do produto necessita de justificativa, que pode ser verificada em caso de auditoria.

POLY4 – manuseio e utilização

Como se dá o manuseio do POLY4?

Resultados de testes mostram que o POLY4 tem uma resistência ao esmagamento suficiente (6,5 kgf) durante todo o processo de fabricação, manuseio e carregamento. Nosso produto possui qualidade premium, o que significa que tem baixa tendência empedramento com uma URC de 70% e é compatível com outros fertilizantes de tipo NPK. O agricultor, que adquire o produto na última etapa da cadeia de abastecimento, receberá grânulos de POLY4 com um prazo de validade extenso, durável e adaptado a métodos de distribuição a lanço de até 36 m de distância.

O POLY4 é inflamável?

Não. O POLY4 não contém materiais químicos sintéticos como os fertilizantes a base de nitrogênio, fabricados quimicamente, tais como ureia ou nitrato de amônia. Como o POLY4 é composto unicamente de materiais naturais, a probabilidade de pegar fogo é quase zero.

O POLY4 pode ser utilizado com outros fertilizantes? Ele funciona na maioria das plantas de tipo NPK?

Fornecedores independentes asseguram que o POLY4 pode ser utilizado como ingrediente em misturas de grânulos, NPK compactado com granulação obtida através de vapor, juntamente com ureia, DAP, fosfato natural, nitrato de amônia e KCl, posto que é compatível física e quimicamente. Enfatizamos que as misturas de POLY4 podem ser adaptadas aos prazos de validade impostos pelo setor.

Testes realizados pelo IFDC comprovaram a compatibilidade do POLY4 com a produção de NPK seja em misturas de granulos, em fertilizantes complexos ou em complexos/compostos. A alta densidade de nutrientes do POLY4 faz dele um insumo ideal para a transformação de misturas padrão de NPK em misturas superiores de NPK para promover uma nutrição de plantas equilibrada.

Qual será o impacto da abrasão resultante do uso de POLY4 em nossas máquinas?

A medida aplicada ao processamento de minerais é o índice de abrasão (IA). A polialita utilizada na produção de POLY4 possui um índice de IA de 0,002, ou seja, duas ordens de magnitude mais baixo que a maioria dos fertilizantes. Isso se dá pela ausência de quartzo ou sílica/silicatos na composição da polialita.

Devo aplicar uma dose quatro vezes maior de POLY4 em comparação com a dose padrão de KCl?

Recomendamos que o plano de fertilização do agricultor seja elaborado por conselheiros habilitados. As melhores soluções agronômicas e econômicas tiram vantagem máxima de cada componente do planto de fertilização, seja ele um componente direto, parte de uma mistura ou composto complexo.

O cloreto de potássio, também conhecido como KCl, é uma fonte de nutriente único e possui 60% de K2O. O POLY4, por sua vez, é uma fonte de nutrientes múltiplos cuja composição é 14% K2O, 3.6% Mg, 14.4% Ca e 19% S.

Através diversos ensaios, pudemos comprovar que, de acordo com as conclusões decorrentes do gráfico de índice K, a utilização de menos K na aplicação direta e de misturas de POLY4 tem resultados mais positivos. Os planos de adubalção de culturas não fornecerão apenas potássio (K2O), mas também outros macronutrientes como magnésio e enxofre. Assim, não é possível comparar o KCl com o POLY4. Tendo isso em vista, há pouca diferença entre o peso de fertilizante exigido para cada plano.

Posso aplicar POLY4 a lanço em faixas de 24m a 36m?

A medida aplicada à uniformidade de aplicação é o coeficiente de variação (CV). Quando o CV é baixo, isso significa que a distribuição do fertilizante foi feita de maneira mais homogênea. Um CV de mais de 20% resulta em faixas na cultura. A distribuição heterogênea aumenta o custo de produção da cultura devido a uma queda de rentabilidade e ações corretivas decorrentes.

Testes de distribuição demonstraram que o POLY4 pode ser aplicado em ambas distâncias, 24 m e 36 m. Os resultados dos testes indicaram um CV entre 4,4 e 5,8%.

POLY4 – testes agronômicos

Como é confirmada a credibilidade dos resultados dos ensaios e pesquisas realizados com o POLY4 em culturas comerciais?

Os testes realizados com o POLY 4 são realizados em parceria com autoridades independentes de pesquisa com equipe própria de pesquisadores amplamente habilitados. Atualmente, trabalhamos com cerca de cem universidades, institutos de pesquisa e parceiros comerciais líderes no setor agrícola.

Alguns resultados de pesquisa independente em cultura foram publicados em revistas ou jornais acadêmicos para validar os resultados obtidos pela Sirius?

Em abril de 2018, uma pesquisa agronômica patrocinada pela Sirius Minerals foi publicada em três jornais científicos (International Scholars Journals, Powder Technology e HortScience). A pesquisa também será publicada em outro jornal de agronomia num futuro próximo.

Grande parte das análises prévias relativas à polialita como fertilizante (Terelak, 1975, 1974; Panitkin, 1967; Marchesi Sociats, 1948; Lepeshkov e Shaposhnikova, 1958; Boratynski e Turyna, 1971; Fraps e Schmidt, 1932; Simrnova, 1965; Mercik, 1981) comprovaram que a polialita pode ser utilizada com resultados similares ou melhores em comparação com outros fertilizantes à base de potássio em uma gama bastante ampla de cultivos comerciais.

Os resultados referentes à polialita em grânulos também comprovaram que o fertilizante é eficaz na liberação progressiva de potássio (K), melhorando a aborção de K de azevém durante um período mais prolongado (Mercik, 1981). A polialita também aumentou a absorção de enxofre (S) (Mercik, 1981), cuja deficiência é cada vez mais comum em culturas na Europa (EEA, 2012) e no mundo todo. Além disso, em solos deficientes, a polialita foi capaz de fornecer magnésio, contribuindo para o aumento da rentabilidade de cultivos de batata e beterraba (Panitkin, 1967), trigo sarraceno e tabaco (Boguszweski e al, 1968). Outras análises realizadas nos Estados Unidos (Barbarick, 1989 e 1991) confirmaram uma rentabilidade e absorção de nutrientes de culturas igual ou maior em comparação com fertilizantes padrão. Consequentemente, a polialita foi considerada um bom fertilizante em termos de fornecimento de K, Ca, Mg e S.

Uma série de dados independentes indicam que o POLY4 tem enorme potencial. Trata-se de pesquisas sobre os benefícios agrícolas para as culturas (Pavuluri e al, 2017; Sutradher e al, 2016; da Costa Mello e al, 2018) e as características físicas do POLY4 como fertilizante comercial (Albadarin e al, 2017).

NB: Referências detalhadas sobre as pesquisas podem ser obtidas mediante solicitação.

Por que vale a pena para um agricultor utilizar POLY4? Trata-se de um produto com baixo teor de nutrientes?

O POLY4 é um fertilizante natural composto de uma ampla gama de nutrientes e com baixo teor de cloro, homologado para utilização em agricultura orgânica. Ele contém quatro dos seis nutrientes que as plantas precisam para crescer e uma série de micronutrientes preciosos. A composição de nutrientes de nosso produto (14% K2O, 3.6% Mg, 14.4% Ca e 19% S) soma um total de 56%, um resultado semelhante aos 60% do KCl, 57% do nitrato de potássio, 67% do SOP, 45% da kieserita ou 55% da gipsita. Trata-se de um fertilizante eficaz, que auxilia os agricultores a maximizar a rentabilidade de suas culturas, além de aumentar a qualidade e aprimorar a estrutura do solo, através da utilização de apenas um produto simples.

NB: Referências detalhadas sobre as publicações podem ser obtidas mediante solicitação.

POLY4 – oportunidades de mercado

Qual é o potencial de mercado do POLY4?

O POLY4 tem um potencial de mercado significativo. A quantidade de oportunidades de mercado do POLY4 se enquadra em três áreas principais – substituir produtos existentes, suprir a demanda do mercado em termos de produtos de alto valor agregado e fornecer desempenho máximo.

Substituição de produtos existentes: O conteúdo único de nutrientes múltiplos do POLY4 gera um amplo leque de oportunidades em termos de substituição de fertilizantes existentes. Além disso, a demanda por fertilizantes com nutrientes múltiplos não pára de crescer.

Demanda de mercado não suprida: Há necessidade de adubação balanceada e uma demanda significativa não suprida em termos de potássio com baixo teor de cloro: 32% do consumo total de potássio provém de culturas sensíveis ao cloro. Contudo, o fornecimento de potássio com baixo teor de cloro é de apenas 9%. A demanda cada vez maior pelas principais características do POLY4, como o fato de ser adaptado ao uso em culturas sensíveis ao cloro e sua habilidade de suprir as deficiências de enxofre e magnésio do solo.

Desempenho de produto: O POLY4 é um produto de alto nível: ele aumenta a rentabilidade em áreas extensivas e culturas de alto valor e aprimora a qualidade e a saúde da cultura, bem como a estrutura do solo, como comprovam os dados coletados através de nosso programa de pesquisa e desenvolvimento. A demanda por fertilizantes com nutrientes múltiplos não pára de crescer e, com a comprovação do desempenho positivo do POLY4, espera-se que sua capacidade de conseguir um prêmio também siga essa tendência.

Os preços líquidos e de mercado da Empresa são enganosos?

Sirius Minerals é uma empresa cotada na bolsa de valores. Ela recebeu um selo Premium Listing da Bolsa de Valores de Londres e foi adicionada ao índice FTSE250. Para adquirir o Premium Listing da Lista Oficial e participar do Mercado Principal da Bolsa de Valores de Londres, a Empresa foi obrigada a emitir um prospecto em conformidade com as Regras de Prospecto da Autoridade de Conduta Financeira (FCA). O prospecto foi aprovado pela FCA e tornado público.

Todas as informações disponibilizadas no referido prospecto (abril de 2017) e em um prospecto redigido para a etapa 1 de finanças (novembro de 2016), incluindo preços de mercado, foram aprovadas pela FCA e Allen & Overy LLP.

O preço do produto é calculado de acordo com uma metodologia baseada em preços de mercado determinados por especialistas do setor independentes. São transparentes e considerados uma referência em termos de preços de fertilizantes.

Os preços de frete do POLY4 foram levados em conta?

Sim. A estimativa dos preços de transporte de nosso produto até o porto de embarque, com adição de custos de carregamento, foi calculada com base em uma série de acordos e contratos existentes atuais em CFR ou FOB no porto de Teesside.

O custo será mais elevado se o POLY4 for incluído em um plano de fertilização?

O POLY4 tem um custo reduzido de aplicação em uma base de nutrientes. Muitos de nossos estudos analisam o valor de nutrientes do POLY4 em comparação com opções atuais. Por exemplo, os resultados de nossos testes com milho em parceria com a universidade de Minnesota, que compararam a utilização de KCl e KCl + POLY4 numa proporção de 75:25 K2O como fontes de potássio e enxofre, indicaram que o uso de KCl + POLY4 teve um retorno de US$247 a mais por hectare em comparação com a utilização de MOP. Além disso, contribuiu para um aumento da qualidade dos grãos e um crescimento de 15% da rentabilidade. Em algumas culturas, como chá foi comprovada uma melhora em termos de economia e valor quando a utilização de POLY4 supre todas as necessidades de potássio. Os dados reunidos indicam que o valor do POLY4 está presente em um plano de adubação e esses planos não requerem um peso total de produtos mais elevado.

Os misturadores serão obrigados a instalar novas infraestruturas para trabalhar com o POLY4?

Não. O estudo da universidade de Greenwich sobre o nosso produto indica que a utilização de POLY4 não difere de outros produtos e não há necessidade de instalar novas infraestruturas para utilização mecânica e exigências estruturais. POLY4 foi testado em tratamentos com misturas de granulos, complexas e complexas/compostas e levou em conta aspectos como descarga em contentores e deslocamento em sistemas.

Também comprovamos que o POLY4 pode ser manuseado e armazenado sob condições similares às de outros fertilizantes